Empreendedorismo social: É economicamente viável?

Vemos cada vez mais o termo Empreendedorismo Social ser utilizado. 

Para as camadas mais jovens da população este tipo de organização é conhecido e muito apreciado, contudo para outras faixas etárias este tipo de organização precisa ser explorado e todas as vantagens que este conceito implica precisam ser evidenciadas. 

Ao longo deste artigo, vamos falar sobre a génese deste tipo de Organização, quais as suas causas e objetivos e porque se está a tornar cada vez mais popular na nossa sociedade. 

Vamos dar-lhe quatro dicas para que se possa tornar um empreendedor social de sucesso e realizado, bem como identificar algumas vantagens deste tipo de negócio. 

O que é empreendedorismo social?

O empreendedorismo Social é a combinação entre negócios com a preocupação em áreas que precisam de maior atenção na nossa sociedade.  

Empreendedores Sociais também se preocupam com lucros, mas não descoram de forma vincada que o seu sucesso também é definido pela forma como as suas empresas podem melhorar o mundo em que vivemos.

Este empreendedorismo social, não tem a mesma génese que Organizações sem fins lucrativos, falamos sim, na obtenção de lucros, mas o maior propósito está fortemente ligado às alterações sociais e ambientais que podem causar desde a  comunidade em que se inserem até mesmo ao planeta.

Com a transformação e renovação do mundo dos negócios, com as startups e as novas gerações a entrarem no plano do empreendedorismo, cada vez mais assistimos à promoção de causas humanas e pessoais dentro de organizações, como a equidade de género, racial, LGBT, etc. 

Neste contexto, os empresários passaram a ter motivações diferentes para iniciar um negócio, assim como os consumidores têm motivações diferentes para comprar produtos e serviços.

 

Qual a causa e o objetivo do empreendedorismo social?

Este tipo de causa está muito relacionada com a consciencialização e reconhecimento dos problemas sociais e promove uma alteração na sociedade como a conhecemos.

Na prática, uma ampla pesquisa precisa ser feita antes de se definir completamente uma questão específica a ser solucionada para, em seguida, o empreendimento social surge como forma de investir na solução desejada. 

Muitas vezes, durante esse processo, a melhoria pretendida pode ou não incluir uma eliminação completa do problema social, contudo cria um processo vitalício focado no desenvolvimento e melhoria desse contexto existente.

Quem investe no empreendedorismo social concentra-se, principalmente, na criação de capital social, sem medir apenas o seu desempenho em termos de lucro ou retorno financeiro.

No entanto, isso não invalida a necessidade de se obter lucro. Afinal, os empreendedores precisam de capital para continuar o processo e trazer uma mudança positiva para a sociedade.

Por que ganhou popularidade este tipo de empreendedorismo?

Tendo em conta o contexto social e ambiental que vivemos, o empreendedorismo social está rapidamente a crescer pelo mundo todo, chamando cada vez mais a atenção de universitários e recém licenciados, mas não só.

Uma das razões desse crescimento de  popularidade, pode estar ligado a esta nova era, que permite uma instantânea e constante globalização da informação. 

Atualmente a responsabilidade social é um fator diferenciador em qualquer marca ou negócio, representar uma causa é visto como uma vantagem no mercado atual, muitos profissionais optam por trabalhar para empresas com missões fortes e em empresas com esta vertente social.

Em suma, popularizou-se porque cada vez mais temos consciência que o Mundo em que vivemos, no seu todo, precisa de todos nós. 

O cenário é muito favorável para quem está interessado em se tornar um empreendedor social. Não existe momento melhor. Caso não saiba por onde começar, aqui ficam algumas dicas:

 

1- Descubra qual a sua causa. 

Acredita firmemente que todas as crianças devem ter direito a uma habitação digna em Portugal? É voluntário em algum tipo de causa? Considera-se ativista? 

Antes de tudo, faça algumas perguntas para definir qual a sua paixão e qual a causa com que mais se identifica e quer lutar para alterar. Todos nós enquanto membros da sociedade gostaríamos de ver alguns aspectos alterados. Em relação ao meio ambiente, questões sociais de várias naturezas, e é sobre estas causas que antes de mais devemos perceber qual a que mais nos move e mais nos faz acreditar que sendo resolvida ou minimizada teria um grande impacto social. 

2- Analise o Mercado do Empreendedorismo Social e identifique onde deseja atuar.

Depois de decidir em qual causa quer investir, comece a averiguar quais são as lacunas nos produtos/serviços existentes neste nicho, e determine como pode preencher essas necessidades. Seja incansável na procura de informação e seja igualmente incansável na procura de soluções para a causa que pretende defender e apoiar.

3- Identifique os seus pontos fortes e as suas mais valias.

Considera-se um excelente escritor ou um vendedor extraordinário? 

Enumere os seus pontos fortes e habilidades e defina como podem as suas mais valias ser úteis à sua missão.

Utilizando aquilo que melhor sabemos fazer será mais fácil atingir objetivos precisos e concretos. Será mais satisfatório pois é importante que acima de tudo se sinta realizado ao nível profissional e ao nível pessoal.

Este também é um excelente momento para identificar as suas fraquezas, para que saiba a quem pedir ajuda e desta forma desenvolver-se e crescer. Sair da zona de conforto é muitas vezes extremamente necessário. A mudança é uma constante da vida, por isso, caso o desafio lhe pareça muito complicado de ultrapassar pense sempre que pode ser a resistência à mudança a manifestar-se. Arrisque, acumule experiências e vivências, tudo isso vai dar-lhe também maior sensibilidade e alargar o seu conhecimento. Tornando-o uma pessoa diferente.

4- Determine o modelo de negócios

Ser um empreendedor social não é o mesmo que criar uma ONG

Como já referimos, para a subsistência das empresas é necessário que as mesmas apresentem lucros. Estas empresas trabalham também com meios humanos e para isso, salários e despesas têm que ser pagas. E para que possam prosseguir atuando em causas sociais e fazendo a diferença tem que haver financiamento para essas causas e iniciativas acontecerem.

Como tal, determine como será efetuada a monitorização da sua ideia que será o seu negócio e defina o modelo de negócio. 

É importante saber como a sua empresa será estruturada.

 

Por que ser um empreendedor social?

Saiba quais os passos a dar e quais as razões para ser um empreendedor social.
Créditos: Pixabay

Impacto Social Ativo

É imperativo no século XXI, estar envolvido com o meio ambiente e ter em atenção situações mais delicadas da sociedade em que vivemos. 

Cada vez mais as pessoas querem ser ouvidas e ter uma palavra ativa na sociedade. 

Investir toda a energia para solucionar um problema significativo para um grupo de pessoas nos dias de hoje é sem dúvida inspirador. Desenvolva a sua ideia de negócio e ainda tem com ela impacto no desenvolvimento da sociedade, ou ainda, para tornar o meio ambiente mais sustentável.

Por um lado há a paixão por empreender e, por outro, existem empreendimentos que realmente causam impacto. No empreendedorismo social, é possível alcançar os dois.

Necessidades Específicas

A nossa conscientização sobre sustentabilidade tem aumentado nos últimos anos. As pessoas têm procurado alternativas para minimizar o seu impacto no meio ambiente e focar-se no consumo de produtos que respeitem valores e sigam ideais. 

Isso prova que a procura de mercado para empresas com uma missão social forte está no centro dessa procura de mercado. 

Essa tendência atual de produtos ecológicos dissipa dúvidas sobre a falta de oportunidades para os negócios sociais como sendo lucrativos no seu todo.

 Resumidamente, não há motivo para fugir ao desafio de desenvolver um produto/serviço para um mercado nicho.

Relação Emocional  superior ao objetivo econômico

As empresas sociais têm a capacidade de construir relacionamentos fortes entre as pessoas. Estas sentem-se mais ligadas com a marca. Tornando-se embaixador das mesmas.

Essas relações facilitam o alcance do negócio,  afinal elas são nutridas principalmente pelo apoio emocional fornecido não somente ao seu público-alvo, mas também aos demais empreendedores.

Por exemplo, iniciativas humanitárias internacionais, como o comércio justo, provaram que o empreendedorismo social também pode ajudar a criar oportunidades de networking entre países e reforçar aqueles que estão sendo marginalizados econômica e socialmente.

Cada vez mais se assiste ao desinteresse das camadas mais jovens da população por marcas que apenas tem como fim um único objetivo: lucro. Talvez pela urgente necessidade de alterar o estilo de vida que temos e sobretudo os hábitos de consumo. No mercado atual, não basta a um produto responder a uma necessidade mas sim, responder a uma necessidade, representar uma causa e ter impacto na causa que defende. 

Negócio mais propício a criar valor econômico e social 

Esse setor de rápido crescimento pode resolver problemas sociais e explorar novas oportunidades de mercado com mais e melhores soluções do que as empresas tradicionais.

As organizações sociais conseguem responder aos problemas sociais com mais eficiência porque não dependem de fundos limitados de instituições oficiais, o que facilita o atendimento às necessidades da sociedade.

Além disso, sendo agentes de mudança para a comunidade e contribuindo significativamente para a economia global, o empreendedorismo social fornece soluções de uma maneira que o Estado não consegue. 

É também por este motivo que investir nesta área é muito importante: criar alternativas quando certas causas ficam esquecidas ou em segundo plano perante  outras necessidades mais urgentes.

Sugestões de leitura:

Empreendedorismo coletivo: Vantagens, desvantagens e algumas dicas

Custo de um funcionário para uma empresa em Portugal

Luis

Apaixonado pelas mais diversas formas de comunicação, interação e conexão fisica e digital entre marcas e pessoas. Numa relação inquieta com Marketing e com um grande compromisso com a comunidade on-line. Licenciado pela Universidade do Algarve no curso de Turismo vertente Marketing e especializado em Marketing Digital, com especial foco e interesse em redes sociais, onde desenvolveu estratégias de comunicação, marketing de conteúdo e ativação de campanhas de publicidade com segmentações estratégicas para diversas marcas inseridas em vários setores de atividade.

Um comentário em “Empreendedorismo social: É economicamente viável?

Deixe uma resposta